Timbre
MINISTÉRIO DO TURISMO
INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL - IPHAN
Divisão Técnica do IPHAN-AC
Superintendência do IPHAN no Estado do Acre​

 

 

Relatório Nº 2085637/2020

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO

Local: Fazenda Crichá, e Fazenda Corassal.

Município: Capixaba, Estado do Acre.

Data: 27.07.2020.

 

Assunto: Relatório de Fiscalização no Sítio Arqueológico Fazenda Crichá e Fazenda Corassal, município de Capixaba, Estado do Acre. Processo IPHAN Nº 01423.000443/2015-87

 

1. INTRODUÇÃO

O presente relatório descreve a vistoria técnica realizada na área do sítio arqueológico Fazenda Crichá e Fazenda Corassal, no município de Capixaba, Estado do Acre, no dia 27/07/2020. Objetivou atender ao Planejamento de Fiscalizações/Ano 2020.

A realização das fiscalizações teve como parâmetros legais a Lei nº 3.924/61, a Portaria Interministerial nº 60/2015, a Portaria SPHAN nº 7/88, dentre outras.

 

2. HISTÓRICO

No dia 26 de setembro de 2014 foi realizada vistoria técnica para apuração de denúncia via e-mail sobre o plantio de cana-de-açúcar na Fazenda Crichá localizada no município de Capixaba, km 55 da rodovia BR-317 (margem esquerda, sentido Rio Branco/Porto Velho), no entorno da Usina Álcool Verde. Como é de conhecimento, essa área em específico possui grande potencial arqueológico, atestado em virtude do desenvolvimento dos projetos de Diagnóstico e Salvamento Arqueológicos realizados quando do Licenciamento Ambiental para a construção da Usina em 2007 e 2008 (Processo Nº 01410.00093/2007-98). Na referida vistoria técnica fomos informados de que tanto a Fazenda Crichá (de propriedade da senhora Francisca Umbelina Oliveira), quanto as vizinhas Fazenda Flor da Mata (pertencente ao senhor Lúcio Casar) e Fazenda Campo Lindo (localizada na margem oposta da rodovia), foram arrendadas pela Álcool Verde para o plantio de cana-de-açúcar. Na ocasião a senhora Francisca Umbelina afirmou que as estruturas estavam preservadas e não havia atividades de revolvimento de solo na área. Fomos até o sítio, dessa vez acompanhados por um encarregado da Fazenda Campo Grande, que afirmou que as plantações de cana-de-açúcar se localizavam fora da área do sítio. Isto foi confirmado (Relatório de Fiscalização SEI 1286360). Desta forma, o sítio foi inserido no plano anual de fiscalização de 2019 e 2020.

No ano de 2019, durante a fiscalização fomos informados que a propriedade não pertencia mais a senhora Francisca Umbelina Oliveira, que pertencia ao senhor Assuero Veronez, que anexou a propriedade a Fazenda Campo Grande. Fomos até a sede da Fazenda Campo Grande, e não conseguimos acesso a propriedade. Desta forma, a fiscalização foi deixada para o segundo semestre de 2019 que não pode ser realizada por questões de acesso ao local (porteira fechada no cadeado). Assim, em 27 de julho de 2020 realizamos a fiscalização, prevista no plano anual de fiscalização de 2020.

 

3.DESCRIÇÃO DA VISTORIA

O sítio arqueológico Fazenda Crichá é composto por cinco (05) estruturas/recintos formados por valetas e muretas.

A Primeira Estrutura é um círculo, sendo que era a estrutura mais preservada do conjunto. A segunda estrutura está ao sul da primeira estrutura, sendo que o ponto inicial da valeta desta estrutura se tangencia da primeira estrutura, seguindo uma trajetória para leste em formato de semi-círculo, esta estrutura estava quase destruída, pouco visível na imagem orbital, sendo mais perceptível em imagens de sobrevoo. A terceira estrutura é um quadrilátero irregular que compartilha a valeta leste com outro quadrilátero (Estrutura IV). A valeta sul marca limites de um semi-círculo (Estruturas V) agregado a ela. Abaixo pode ser visualizado a ficha do sítio, retirado do Processo de Instrução do Tombamento: